Antevisão Táctica da Taça de Portugal - SL Benfica x Vitória SC


Benfica e Vitória disputam este Domingo no Jamor pelas 17h.15, a prova rainha do futebol luso, troféu desejado por todos os Clubes, mas onde só um, o pode levantar na Tribuna de Honra.

Frente a frente, indiscutivelmente duas das melhores Equipas Portuguesas da atualidade.

De um lado o atual Campeão, e que almeja a dobradinha, do outro, uma formação que logrou o quarto posto (lugar que lhe fugia há 14 anos),e que pretende reviver a inédita conquista alcançada em 2013.

Espera-se portanto um belo jogo de futebol no mítico palco nacional( terá lotação esgotada).

Analisando taticamente ambas as formações, podemos começar pelo Benfica de Rui Vitória, um conjunto que se organiza num 1x4x4x2, e onde mostra muita argúcia na sua organização - identidade.
Uma Equipa com um jogo interior veemente, que sabe quando tem de acelerar e de pausar (Pizzi e Jonas dois jogadores com enorme qualidade em zonas de criação).

De seguida, algumas imagens onde se visualiza a capacidade e o manancial de soluções que o Benfica coloca no seu processo;

- Jonas sempre a dar-se ao jogo (cerebral, a baixar e a ligar).Jogador de altíssimo nível.



- Equipa a procurar o seu forte jogo interior (Pizzi pronto a assumir, e Salvio a ir dentro também, de forma a poder abrir espaço para a profundidade de Semedo).



- Lindelof assume construção desde trás (quebra linhas com muita facilidade),Grimaldo atrai dentro, Jonas entrelinhas pronto a receber (Gimenéz mais forte em apoio frontal).



- Lindelof novamente a progredir, Pizzi e Jonas a ofertar linhas de passe, e Grimaldo a fixar em zona central.



- Jonas, Jiménez e Cervi por dentro, e nas costas da zona intermédia do adversário (Benfica a “chamar”pressão,para posteriormente ter muito espaço entrelinhas).



- Aqui Salvio, Jiménez e Jonas por dentro, e Semedo a dar largura na direita.




Já o Vitória de Pedro Martins (1x4x2x3x1-1x4x4x2 em organização defensiva), foi das Equipas mais agressivas na exploração de rápidas transições ofensivas ( Hernâni e Marega como figuras neste momento de jogo), o que lhe valeu 12 triunfos fora de portas (contabilizando jogos da Taça de Portugal).
Uma Equipa com um jogo exterior bem capacitado (ainda que a Equipa procure de forma incessante criar por fora), o que não traz imprevisibilidade ao seu jogo.

O Vitória por exemplo relativamente ao jogo frente ao Benfica para a Liga há 15 dias, precisa claramente de ser mais organizado ( desorganizou-se de forma célere, e foi muito passivo na disputa da bola, e pouco reativo à perda da mesma).

Pedro Martins deverá retificar ao nível do sistema tático ( é expectável que reforce a zona intermédia, de forma a dar mais compactez ao miolo, e que possa neste contexto combater o forte jogo interior encarnado), e pode por isso fazer entrar Celis (mais agressivo na disputa do esférico e capaz de "bloquear" Pizzi numa segunda fase de construção do jogo do Benfica), ou mesmo Tozé (pode ser a surpresa no 11), passando Hurtado para a faixa esquerda do ataque (com liberdade para ir a zona central e ser o 4º médio), e Marega jogue como referência na frente ( na procura da profundidade).
Se Teixera continuar de inicio na frente de ataque, o Vitória terá que reajustar o seu posicionamento sem bola (é contraproducente expor em demasia o duplo pivô defensivo a ter que jogar a toda a largura da zona nevrálgica, pois muitas vezes vão na cobertura nas faixas, é que Hernâni principalmente baixa pouco no apoio a B.Gaspar).

O Vitória pode por exemplo,"rever-se" em grande parte, na boa organizacão que o Estoril apresentou na Luz ( dos jogos onde o SLB, mais dificuldades teve na época prestes a findar).

Alguns exemplos:

- Fulcral encaixar e impedir o início de construção do jogo benfiquista (Lindelof e Pizzi)



-Pizzi e Fejsa “bloqueados”, Benfica com dificuldades em organizar (sem solução obriga a jogar atrás e reiniciar).



- Saída a 3, Pizzi muito bem vigiado (e assim dificuldades para transportar bola para o último terço do terreno).



- Se há oportunidade de explorar a profundidade o Vitoria deve faze-lo (Benfica por vezes com a linha mal articulada, e com mau controlo), até porque tem velocistas na frente.



- Vitória na Luz, teve condições para o executar, faltou critério no último passe.




-Aproveitar alguns momentos onde o Benfica está com a equipa partida (neste momento o Vitória pode causar mossa).



- Procurar mais o jogo interior, e não só criar por fora, (aqui Konan jogou logo na área, com o Benfica em superioridade 3x2).


- Bongani um médio com visão periférica e qualidade de passe (tem que ser mais solicitado por dentro), pode ser pelos pés do sul-africano que os branquinhos podem ganhar clarividência na zona intermédia.




Os dados estão lançados, que o excelente espírito de confraternização no pré jogo que impera no Jamor esteja presente, e que no relvado seja um grande jogo de futebol.
Jogos de Taça são sempre diferenciados (Benfica parte com ascendente, mas o Vitória joga bem e apoiados pelo fantástico 12º jogador, tem uma palavra a dizer).
Ao final da tarde se visualizará, se o Benfica almeja a 26ª Taça, ou se o Vitória volta a tocar o céu, e conquista a sua 2ª Taça de Portugal!

Enviar um comentário

[blogger]

MKRdezign

Formulário de Contacto

Nome

Email *

Mensagem *

Com tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget