Recordar os Eternos: Torino 1949

4 de Maio de 1949 é uma data marcada com sangue e luto na história do futebol italiano. O Torino, tetra campeão da Itália, orgulho de todo o país, terror dos adversários, jogava no estádio da Luz, em Portugal, contra o Benfica um amistoso que marcava a despedida do jogador português Francisco Ferreira.

Às 17h05 o avião Fiat G212 que levava a bordo toda a equipa chocou contra a fachada da basílica de Superga, nas proximidades da Cidade de Turim, na Itália.
Não houve sobreviventes. Encerrava-se naquele dia a história de uma das maiores equipas do futebol italiano de todos os tempos. No mesmo dia da catástrofe, em honra ao brilhante Torino da época, a seus jogadores, técnicos e acompanhantes, declarou-se vencedor da Liga.

Depois do jogo a delegação vai para o aeroporto e embarca num bimotor da Alitalia, que faz escala em Barcelona, e ali encontra um grande número de jornalistas espanhóis para entrevistar os seus jogadores. Absolutamente tranquilos, com as brincadeiras de sempre, os maiores craques da Itália entram de novo do avião, rumo a Turim. O avião descola normalmente em Barcelona. O céu estava negro e sombrio. Já perto de Turim, um pesado nevoeiro cobre toda a área e não se vê nada. Lá em baixo, na cidade, ouve-se apenas o ronco dos motores a aproximar. Às 17 horas e 7 minutos, o avião com um grande estrondo, choca com uma das torres da Basílica de Turin, encravada a 600 metros de altura na colina de Superga. Numa fracção de segundos, o invencível Torino estava derrotado pela morte. O país ficou traumatizado. Em todas as partes da Itália ninguém queria acreditar nas noticias que chegavam pelas agências.

Depois do luto nacional, e ante a emoção universal, a equipa júnior substituiu por completo a equipa profissional ... para jogar as quatro partidas pendentes e nos quatro jogos ganhou a equipe júnior. 
15 de maio de 1949, Torino-Genova, 4-0
22 de maio, Torino-Palermo, 3-0
29 de maio, Sampdoria-Torino, 2-3
12 de Junho, num jogo emocionante, os juniores ganharam no Stadio Comunale por 2-0 a Fiorentina. Em sinal de respeito os 4 clubes jogaram com juniores também.

Assim, o Torino, líder desportivo, no dia do drama e declarado campeão de honra e luto, também se proclamou campeão desportivo. Os juniores honraram de uma forma tão bonita os seus ídolos, como Valentino Mazzola, a estrela, o criador, goleador e organizador do Grande Torino.

O Torino apaixonava, era o melhor da Itália, fazia uma década, a Juventus era então o segundo da cidade da Fiat. Este scudetto de 1949 era o quinto consecutivo. Em 1947/48, o Torino tinha marcado 125 golos em 40 partidas.

No dia 4 de Maio de 1949 morreu o melhor futebol da Itália em Superga e 10 anos mais tarde o calcio estreava o catenaccio, e o Grande Torino criativo e ofensivo de Valentino já era uma simples lembrança dramática. É possível também que a historia do futebol italiano mudou esse dia. O Torino só ganharia um scudetto mais em 1976.

Vitímas
Jogadores
Valerio Bacigalupo
Aldo Ballarin
Dino Ballarin
Milo Bongiorni
Eusebio Castigliano
Rubens Fadini
Guglielmo Gabetto
Ruggero Grava
Giuseppe Grezar
Ezio Loik
Virgilio Maroso
Danilo Martelli
Valentino Mazzola
Romeo Menti
Piero Operto
Franco Ossola
Mario Rigamonti
Julius Schubert

Funcionários
Arnaldo Agnisetta
Ippolito Civalleri
Egri Erbstein
Leslie Lievesley
Ottavio Corina

Jornalistas
Renato Casalbore
Luigi Cavallero
Renato Tosatti

Tripulação
Pierluigi Meroni
Antonio Pangrazi
Celestino D’Inca
Cesare Biancardi

Outros
Andrea Bonaiuti